Por isso...

Aqui teremos papos, desabafos, dicas, receitas e tudo que possa facilitar nossa correria diária de ser mulher, mãe e tal

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Eu corro demais!


Final de tarde e estou no carro com meu filho Arthur. A lua já brilha cheia no céu e meu pequeno pergunta por que ela nos segue. Não consigo resistir, digo a ele que a lua nos segue pois deve gostar de nós, afinal meu nome começa igualzinho ao nome dela. Arthur se mostra um pouco incrédulo, mas conclui dizendo que acha que é isso mesmo. Impossível resistir a ingenuidade de seus 4 anos.

Seguimos até um caixa eletrônico, preciso pegar dinheiro para pagar o pedreiro – estamos em meio a reforma do nosso novo apartamento, e como meu marido, o responsável pela tarefinha, está viajando, cá estamos. Arthur me pede para fazermos mais alguma coisa antes de voltarmos para casa. Como já escureceu completamente, pergunto o que ele acha de passarmos numa padaria e comprar algumas gostosuras. Proposta aceita e lá vamos nós.

Com um naco de pão quentinho nas mãos, Arthur senta na cadeirinha, onde o prendo no cinto de segurança (cadeirinha é lei!). Quando me dou conta estou num cruzamento insano no pior horário do dia para estar ali. Confio na sorte, me distraio, ou sei lá o que acontece: bato! Sim, depois de 8 anos de CNH, debutei na traseira de um carro! A dona do veículo desceu do carro bufando, achei que além de bater no carro dela, eu iria levar minha primeira surra de rua! Mostro meu filho com os olhos arregalados na janela e ela se transforma! Chega a esboçar alguns sorrisos. Ufa, descobri o antídoto para a raiva da mulher! Ela deve ser mãe, tinha cara de mãe e age como uma. Mães se entendem.

Quando vê a criança, imediatamente ela se acalma e podemos conversar civilizadamente. Depois de olharmos os estragos, alguns arranhões e amassadinhos em ambos os carros, trocamos telefones. Ela vai embora e eu tento parar de tremer, preciso chegar em casa. Preciso ligar para meu marido em outro estado e contar a novidade.

Confesso que sou rapidinha no trânsito, um pouco impaciente com quem anda no limite mínimo de velocidade, mas me policio para não correr. Mas a verdade é que ando cansada. Há meses tenho o sono interrompido seguidamente por meu bebê que insiste em mamar a noite toda e prefere mil vezes meu peito a uma chupeta. Inclusive abandonou a chupeta no alto de seus 7 meses. Por que usar uma borracha se tem dois peitos quentinhos com leite para sugar toda a madrugada? O resultado é que ando um caco, e por isso, tenho dúvidas se deveria estar dirigindo...

Depois de ligar para meu marido o nervosismo passa, ele me acalma dizendo que isso acontece, que não tem problema, que entende. Fico bem mais tranqüila. Realmente eu ficaria muito chateada se ainda fosse obrigada a ouvir qualquer comentário que não o de apoio. Mas o mal-estar continua. Acho que deve demorar alguns dias para ser superado, impossível estrear em alguma coisa e ficar sem qualquer sensação...

Ainda assim preciso perguntar: que mãe não corre demais?
Fotografia: Pinheiro.

10 comentários:

Tati disse...

Lu, consegui ver o sufoco! mas ainda bem que não foi nd sério né? bjs

Dani disse...

Nossa, ter algum tipo de acidente/incidente no trânsito com filhos no carro não é fácil mesmo!

A propósito, adoro sua narrativa!

blog da vicky disse...

ô Lu.. q bom q tudo acabou bem...

Daya disse...

ainda bem que não passou de um susto e de mais uma história pra contar!!!! Áh, eu tb digo pra Maya que a lua nos segue pq gosta de nós!!!

Jeanne disse...

Ai Lu q susto heim???
Uix até eu fiquei nervosa por ti..heheh ainda bem q passou!

Lulu disse...

Gurias, foi um sustão mesmo! Mas deve servir pra ficar mais atenta...
Bjos em todas!

disse...

Adorei o texto Lu.
Ih menina sabe que tbm dou minhas "bufadas" no trânsito, achei que só eu fazia isso, que isso era mais coisa de homem, mas pelo jeito vi que não, rss.

Kelly disse...

OI Luana, adorei o lance da lua gosta da gente...e sobre a batida acontesse mesmo...bjos

Marina Tiso disse...

Luuuuuu! Ai que saco!
Confesso que já fiz isso também... Foi na primeira vez que me separei de espaço físico do Lipito...

Mas o coração demora a parar de palpitar, né?

E o Rafa? Onde ele estava qdo tudo aconteceu???

Beijoooooocas

Lulu disse...

Valeu, gurias!
Ma, Rafa estava em casa... Ainda bem!
Ontem a mulher do carro me ligou. Pago ela essa semana e fim de caso!
Bjos!