Por isso...

Aqui teremos papos, desabafos, dicas, receitas e tudo que possa facilitar nossa correria diária de ser mulher, mãe e tal

domingo, 17 de outubro de 2010

Um carinho para nosso cérebro

Nada melhor do que cheiro de livro, seja novo, velho, usado ou surrado!!!! Eu amo de paixão a leitura e geralmente leio mais de um livro ao mesmo tempo, variando entre literatura, psicologia, auto-ajuda, educação infantil, etc.

Ultimamente eu ando cheirando, ou melhor, lendo um livro novinho em folhas, o Comprometida, da Elizabeth Gilbert. Pra quem leu o livro de maior sucesso dela, o Comer, Rezar, Amar, vai entender melhor, já que Comprometida fala do casamento que ela foi obrigada a realizar com o grande amor que encontrou no final daquele livro, pois o seu namorado só pode entrar nos EUA depois de casado com ela.



Enfim, comecei a leitura agora e pouco tenho a falar sobre ele, a não ser que estou ávida em devorá-lo e que amei a frase do início: “Não há risco maior do que o matrimônio. Mas nada é mais feliz do que um casamento feliz”. Benjamin Disraeli, 1870, numa carta a Louise, filha da rainha Vitória, cumprimentando-a pelo noivado.

Diz aí, essa frase não é a mais pura verdade?

Também gosto da Ferrnada Young, adoro os seus textos, roteiros, o seu modo irreverente e visão que tem das coisas em geral, não que concorde com tudo que ela fala e escreve, já que nunca concordo 100% com alguém, afinal as pessoas são diferentes, mas tem uma frase dela sobre relacionamentos que ADORO e acho que vale a pena dividir com vocês:

“Tratar o outro como uma pilha de cristais finos. Pois o ser humano é um amontoado de traumas. E cada um desses traumas merece atenção e tato, quase que tratamento especial. Daí se faz a intimidade máxima: um conhece os problemas emocionais do outro, muito mais do que as suas mães ou os seus analistas jamais conheceram. É, no final das contas, essa sabedoria que sustenta os alicerces de um casamento. Mas mantê-los é tão cansativo que, às vezes, os casais duvidam se aquilo vale a pena. Senão seria melhor viver sozinho, do que ter que estar atento a tudo o tempo todo. Estar ligado às variações de humor do outro, às faltas de interesse físico, ao desânimo com a própria higiene. Estar acompanhado é um trabalho árduo, disfarçado de aconchego.”

Só pra finalizar, eu amo o aconchego aqui de casa!!!!

Boa semana pessoal.

Bjks,

5 comentários:

Dani disse...

Compartilhamos da mesma paixão, né? By the way, amei a foto. rs Vc tá insuperável. Amo muito tudo isso!

Nada acontece por acaso nessa vida, né? Adorei tudo o que vc escreveu sobre relacionamentos...gostaria muito que alguém também lesse.

Tati disse...

Ai que vontade de ler que deuuuuuuuuuuu!
casamento é isso mesmo, emoções de lidar com o outro e nós mesmo todo dia! AH! aconchego bom! doido mas bom demais!
bjs, bjs
*tb adorei a foto!

Blog do Nível I P2A disse...

Muito legal Daya!!!
casamento é um desafio diário, mas é muito bom!!
Beijossssssssssssssssssssssssssss

disse...

Nossa que post SHOW!

Amei a frase da Fernanda Young, aliás, gosto mto do q ela escreve tbm.
Mto bacana a indicação do livro.. e sobre casamento.. não ando na minha melhor fase para comentar a respeito, rs.
Bjocas Daya!!

Karine disse...

Meninas fazia tempo que eu nao dava uma passadinha aqui... preciso dizer que AMEIIIIII esse textozinho no final!!! TUDO!!! Amo Fernanda Y tb !!!