Por isso...

Aqui teremos papos, desabafos, dicas, receitas e tudo que possa facilitar nossa correria diária de ser mulher, mãe e tal

domingo, 12 de dezembro de 2010

Infância com sotaque alemão


Olá! Meu nome é Alexsandra, tenho 35 anos, sou casada e tenho 02 meninas, Victoria, 7 anos e Sophia, 4 anos. Moro na Alemanha há 12 anos. Fui convidada com carinho pela Daya, minha amiga desde a infância, que me sugeriu em fazer uma matéria para o Blog. Resolvi escrever sobre como vivem as crianças aqui, achei uma excelente ideia, já que quando recebo amigos ou parentes do Brasil, ou então visito o meu país, ouço falar que aqui educamos diferente nossos filhos.

Na Alemanha, no momento que desejamos ter filhos precisamos abdicar da nossa profissão por 02 anos e meio ou mais, pois a maioria das creches não aceitam bebês ou crianças menores de 02 anos e meio. As mães recebem uma ajuda do governo por um bom tempo, sendo que a criança recebe uma ajuda até completar 25 anos, dependendo do caso.

O emprego da mãe fica naturalmente garantido pelo prazo que estiver em casa. Há pais que decidem cuidar das crianças e as mães retornam mais cedo ao trabalho. E assim você é mãe, taxista, empregada doméstica, jardineira, paisagista, eletricista, encanadora, costureira, pintora, cozinheira. Isso porque a mão de obra é cara, empregada doméstica ou diarista cobra a hora em torno de 9,00 euros e babá seus 8,00 euros. Por isso só nos resta arregaçar as mangas e vamos lá.

Com o tempo conseguimos com êxito administrar nossa pequena empresa e assim que as crianças entram na escolinha (jardim de infância) sobram umas horinhas livres. Realmente precisamos ser criativas para que a vida não se torne monótona.

Quanto a parte esportiva estamos bem servidos, a maioria são oferecidos pela cidade onde moramos e são gratuitos. Além de aulas de inglês e francês, escolas de música, natação, ginástica e artes. Tem também piscinas térmicas, onde passamos algumas horinhas com as crianças.

Há passeios ecológicos e muitos parquinhos espalhados pela cidade e, principalmente, na primavera e verão são frequentados por mamães e papais com cestas de piquenique, onde passamos tardes agradáveis com as crianças.

O importante aqui é sair de casa, televisão é super moderada, há famílias que permitem assistir apenas meia hora de televisão por dia. Eu já libero um pouco mais, mas ainda acho que sou bem rigorosa, aos poucos fui me adaptando. Faça chuva ou sol, neve, temperaturas negativas, as crianças saem de casa para brincar e passear. Nas escolinhas (os jardins de infância) as crianças, mesmo com chuva ou neve, passam pouco tempo dentro da sala de aula, bem agasalhadas elas brincam fora. Dizem que é bom para fortalecer o sistema imunológico e alertam que muitas horas na frente da televisão, do computador e jogos eletrônicos prejudicam as crianças.

Outra coisa é a alimentação, como ingerimos alimentos gordurosos então, em alguma coisa, precisamos moderar. Existem muitas campanhas na escola e na TV, alertando sobre a gordura e o açúcar. Vejo meus conhecidos e familiares do Brasil achar engraçado que o lanchinho aqui tem muitas frutas, também levam tomate ou pepino ( não o nosso pepino em conserva ) e sim outro tipo de pepino. Além de cereais e água ou chá os chamados "Schöllers" ( suco de frutas misturado com água com gás, sendo o preferido das crianças o de maçã). Claro que aqui em casa existem outras guloseimas, principalmente as coisas do Brasil que encomendo e minhas filhas acham tudo muito doce, engraçado que eu também já percebo isto, mas como e tenho ótimas recordações. Minha mãe me disse :"Alexsandra se tuas filhas fossem morar no Brasil teriam problemas de adaptação, principalmente na escola, levando o lanche que elas levam aí".Mas eu penso que não mudaria o lanche delas, já que estão acostumadas .

O que eu sempre gostei daqui é que ninguém está nem aí se teu filho veste ou deixa de vestir marcas. Aqui praticamente só há escolas municipais ou estaduais, poucas privadas, seguindo os métodos: Montessori ou  Waldorfschule. Mas todas elas baseadas nas diferentes culturas da Europa. O que se dá menos valor é o que se veste ou onde se mora ou que profissão que os pais têm.

As crianças desde pequenas aprendem que todos somos iguais, independentes da raça, religião, cor ou nível social. Importante para elas é, com certeza, o que é importante para nós: amor, carinho, tolerância, saúde, educação, diálogo ou seja, uma infância feliz!

Alexsandra
Alemanha 24.11.2010.



Leke, muito legal seu depoimento, adorei você ter aceitado o meu convite e ainda mais ter te encontrado pelos caminhos da net depois de tanto tempo!!!!!!
Valeu querida!

8 comentários:

Tati disse...

Alexsandra, adorei saber um pouco como é a rotina das mães por aí! imagina que aqui no Brasil conseguir 6 meses para amamentar o filho já é difícil, quem dirá as empresas liberarem por dois anos! obrigada por dividir conosco sua experiência!
E obrigada Daya por chama-la
bjs

Cloves disse...

Olha só que mundo pequeno!! O que a internet não faz?
Muitas saudades de todos vocês aí!
A Tati que comentou acima é mãe do meu afilhado Tauan e uma super mãe! hehe
Aliás, todas as mães são heroínas.
Fico muito feliz de saber que está tudo bem por aí e por poder fazer parte, pelo menos por alguns momentos, da "Victoria" que transformastes a tua vida.
Felicidades e tudo de bom para vocês! Saudades aqui do Brasil!

Cloves disse...

Ale, faltou uma foto de toda a família na postagem: Alexsandra, Helmut, Victoria e Sophia.
Beijo

Carla disse...

Muito legal o post Alessandra. Outro mundo a Alemanha héim? Quem me dera parar dois anos!!
Um abraço grande e obrigada por nos contar um pouco sobre a sua vida.

Dani disse...

Adorei o post.

E saber que na Europa, eles respeitam o direito de maternar é de arrancar suspiros! Ahh, se no Brasil fosse assim.

Também adoraria morar num lugar onde não cabe a ostentação.

E bom saber que hoje, é difundido o respeito às raças e classes sociais.

Super legal sua participação no blog!
Bjo

Alexsandra disse...

Obrigada pelo comentarios e também gostei de falar um pouco daqui. Um abraco especial vai ao amigo Cloves de muito anos, que já esteve aqui conosco.
Beijo a Daya pela oportunidade e um beijo a vcs mamaes dai.

Lulu disse...

Alexsandra, adorei seu post!
Meu filho estuda numa escola waldorf e percebo que tem mesmo tudo a ver com o que vc falou sobre a educação e a infância por aí...
Muito legal!

Cantinho da Mirian disse...

Alexsandra,
Adorei seu post! Já morei na Alemanha e um filme foi passando pela minha cabeça! Na época eu não tinha filho mas achava bacana a dedicação dos pais com seus pequenos. Esse período de licença maternidade é fantástico... mas temos que lembrar que atrás disso tem interesses govermamentais relacionados ao deficit populacional alemão. Com relação a alimentação acho ótimo o hábito de ingerir menos açucar... mas o povo alemão precisa melhorar muito a quantidade de gordura que ingerem. Tb gostei muito do brible a monotonia que vc falou! Aí realmente é necessário! E uma das coisas que eu mais gostava aí era que independente de estação do ano as crianças sempre saiam para brincar.
Adorei o post!