Por isso...

Aqui teremos papos, desabafos, dicas, receitas e tudo que possa facilitar nossa correria diária de ser mulher, mãe e tal

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Joanna Cardoso Marcenal

O Post de hoje faz parte da blogagem coletiva que pede justiça em mais um caso absurdo.
O post foi retirado do Blog da Ly Melo



“Todos os dias vejo o sorriso no rosto de uma criança.
Um sorriso cálido, cheio de sonhos e desejos.
Ela me chama de mãe, me abraça e me transmite o
maior amor do mundo. Todos os dias luto por ela.
Cuido, amo incondicionalmente.
Todos os dias penso em como será a sua vida,
num mundo cheio de problemas,
mas também cheio de maravilhas.
Todos os dias lembro de como foi tê-la em meu ventre,
imaginar seu rosto e sentir seus movimentos.
Todos os dias vejo como ela cresce, se movimenta,
aprende palavras e se relaciona com as outras pessoas."

Vocês já pensaram se isso tudo lhes fosse retirado de uma hora para outra? Já pensaram no berço vazio? Já pensaram em não acordar mais cedo ou passar noites em claro pela falta de SEUS FILHOS? Fechem os olhos e pensem nisso. Sentiram um medo terrível só de pensar? Agora abram seus olhos e olhem para seus filhos. Sentiram um alívio tremendo?
É MÃES, a Cris está com o berço vazio!!!! E o coração cheio de uma dor insuportável.

Quando ela fecha os olhos e abre de novo, sua filha não está mais lá. O alívio não vêm e a dor continua.
Para a Cris, essa dor vai continuar sempre! Não haverá justiça no mundo que apague a dor pela filha que se foi.
Se não levantarmos nossa voz para deixarmos bem claro que a decisão da justiça foi falha, que NENHUMA LEI AFASTA A FILHA DE UMA MÃE POR 90 DIAS, que um médico ou hospital errou muito por deixar que um estagiário cuidasse de uma menina que precisava de cuidados de um profissional muito bem treinado e com experiência, além de outros absurdos no caso de JOANNA... Vocês já leram sobre o caso? Já sabem o que está acontecendo? Se não levantarmos nossa voz para isso tudo, qual legado deixaremos para os nossos filhos? Que ter influência e dinheiro é tudo na vida? Que essa influência pode superar o amor e a dor?
Há leis para tudo hoje em dia! Leis criadas para nos protegerem. E quando não são, como foi o caso de JOANNA?
E se fosse com você, o que faria? O que você gostaria que fizessem por você? Então MÃES, levantem SUA VOZ. Ajudem, repassem, escrevam suas palavras. Mas façamos algo, antes que um dia nada se faça por NÓS e pela perpetuação da ajuda mútua. Do amor ao próximo.




"Nada pode apagar a passagem da Joanna neste mundo.
Nem a dor de sua perda. Nem o amor que plantou em sua mãe.
Nada pode trazê-la de volta. Nada.
Mas podemos lutar para que outras Joannas não
sejam vítimas de uma injustiça. Todos os dias."
Não conhece o caso?

Beijos


5 comentários:

Daya disse...

Nossa, essa história é chocante...terrivelmente triste! Infelizmente mais uma de tantas barbaridades praticadas contra crianças.
Que essa mãe um dia possa encontrar um pouco de paz.
Eu, como advogada, tenho uma curiosidade enorme em conhecer o processo judicial que concedeu a guarda ao pai, porque pela imprensa é muito suscinto. Mas enfim, que pelo menos agora haja mais cautela judicial e que os verdadeiros culpados sejam responsabilizados. Não que isso modifique o que já passou, a menina jamais voltará, mas os criminosos não podem ficar impunes, principalmente o agressor!!!
Que revolta que me dá!!!!!

Ly Mello disse...

Tati, muito obrigada pela sua ajuda minha linda!
Deus te abençõe!

Bjs.

Carla disse...

Tudo muito triste, que de alguma forma a justiça seja feita!!!!!
Mas confio na de Deus!!! Disso não há como fugir!!!!
Força Ly, parabéns pela iniciativa!!!!
Um abraço fraterno à Cris!!!

Lulu disse...

Tenho visto algumas matérias sobre o caso e só posso dizer que além de muito triste e lamentável, ainda não consegui entender exatamente o que aconteceu...
De qualquer forma uma menininha linda perdeu a vida e uma mãe perdeu a filha, e só isso já é uma tragédia.
Espero que essa mãe encontre conforto.

Dani disse...

Lu, vc disse tudo!
Vi várias matérias, mas nenhuma esclarecem os fatos.

Não consigo imaginar a dor da mãe que perde um filho. É triste demais!!!

Só Deus pra confortar...