Por isso...

Aqui teremos papos, desabafos, dicas, receitas e tudo que possa facilitar nossa correria diária de ser mulher, mãe e tal

domingo, 29 de agosto de 2010

Lixo - um problema mundial - vamos ensinar nossos filhos!!!

Fonte: Marcelo Casal Jr - Agência Brasil

Esses dias eu estava vendo TV e me deparei com uma matéria sobre “lixo”. Ele continua sendo produzido em excesso nas sociedades ocidentais, e nem sempre é tratado com a devida preocupação.
Hoje o lixo é realmente um problema mundial. Tanto o orgânico quanto o reciclável.
Nem tudo que é reciclável é devidamente reciclado, e fica perdido pelo mundão, demorando anos e anos para se decompor, e poluindo nosso pequeno grande planeta.
Uma vez até apareceu na TV o lixão do mundo em pleno oceano pacífico. Lá estavam trocentas latas, garrafas, enfim, coisas que poderiam ter sido recicladas, ao invés de lançadas ao mar, e muitas vezes virando comida de tartarugas marinhas, e por conseqüência causando sua morte.
(Fonte: revista Época)

Que absurdo não? Uma latinha de refrigerante ou cerveja, que num determinado momento, te proporcionou alguns instantes de puro prazer, do outro lado do oceano fazem animais morrer agonizando. Animais que demoram anos e anos pra alcançar a vida adulta. Animais em risco de extinção. Animais indefesos. Tão indefesos que uma sacolinha de supermercado pode levá-los ao fim.
E não paramos de produzir esse lixo, e lançá-lo à natureza sem critério algum.
Infelizmente não é cultural para nós separar devidamente todo o lixo reciclável, como é feito em alguns países mais desenvolvidos (no Japão, deve-se lavar e acondicionar cada tipo de lixo – plástico, lata, isopor, etc – em seu saco de lixo específico com o nome do “dono do lixo” escrito. Os sacos são comprados no supermercado, e só se o lixo estiver corretamente acondicionado a prefeitura leva. Do contrário, o lixo volta pra sua porta e, ou você arruma o lixo ou paga uma multa).
(Fonte: Site Folha)

(Fonte: Funverde)

Além disso, tem o lixo orgânico, né? Lixões pelas grandes cidades, acumulam uma montanha de lixo em decomposição, que em alguns casos, se transforma em local de trabalho de pessoas que reviram aquele monte em busca de algum reciclado ali perdido. Ou restos de qualquer coisa. Quem nunca viu aquele documentário: “Ilha das Flores” (desculpem, não lembro o nome do diretor). Vi na escola. Chocou-me e lembro até hoje das cenas fortes de crianças e adultos em lixões.

Bom, e aí, falar é fácil né? Criticar todo mundo critica... De quem depende que as coisas mudem? Do governo? Não!!!! De cada um de nós.
Eu confesso, não andava separando 100% do lixo da melhor maneira possível. E com esse assunto voltando à tona pra mim, ontem já separei tudo certinho. E pretendo readquirir esse hábito, para repassar isso para minha filha, vizinhos, enfim, quem puder ser alcançado por essa onda de consciência ambiental.
Algumas cidades têm coleta seletiva, outras, os carroceiros se encarregam de levar, ou existem cooperativas de recicláveis em que podemos levar também.
Não custa nada separar as latas, garrafas pet, vidros, isopor, caixinhas de leite e afins... dar uma enxaguada para tirar o resto de alimento, para não atrair moscas e outros insetos. Acondicionar numa sacola, de preferência transparente, para que se possa identificar o conteúdo (evitando que um carroceiro destroce um saco de lixo com orgânicos e recicláveis misturados para fazer sua própria seleção).
Ah, e lembre-se: deixe o lixo no dia correto de coleta, evite deixar o lixo dormir na rua pois animais moribundos podem destroçar o saco em busca de resto de alimentos e na frente da sua casa vai ficar o resultado da “pressa” em se livrar do lixo antes da hora.
Se cada um fizer um pouquinho, esse pouquinho vira um poucão.
E vamos que vamos, criar essa consciência e adotar de verdade, passar para os filhos, amigos, parentes etc.
Só assim podemos ter esperança de que o mundo ainda vai ser bom pros nossos filhos e netos.
Beijos!

7 comentários:

Tati disse...

RÔ, Adorei seu post e concordo!
Confesso que não entendo como algumas pessoas ainda não separam o lixo...Tau com 4 anos, já tem noção que o lixo é separado, qdo fica em dúvida vem correndo perguntar: "mãe, é seco ou orgânico?" Sem falar que ele é o primeiro a separar a "sucata" para levar para escola, que além de transformar muito bem o lixo em arte, brinquedos...ainda faz o favor a natureza de não usar isopor, nem E.V.A. Para quem parece coisa de outro mundo....posso garantir, não é! Na verdade é mto mais simple que se imagina...bora lá separar seu lixo!!
bjs, bjs

Daya disse...

Tb amei o post Ro!
Separar o lixo é tão simples e um hábito fácil de se adquirir e faz um bem danado ao nosso planeta. Mas discordo com vc qdo diz que só nós somos responsáveis pelo lixo. O governo sim precisa fazer a sua parte, que é a principal de todas, conscientizando a população e dando suporte para que o lixo seja cada vez mais reciclado e aproveitado.
O Japão está dando um banho na reciclágem de lixo, um exemplo a ser seguido, sem dúvidas. Mas e qto a China, vc sabe me dizer como eles procedem? Te pergunto isso porque a China é a usina do mundo e fico só imaginando a qtidade de lixo que tb é produzida por lá!!!!
E pra fechar meu comentário, tem uma amiga minha que faz muito com seu lixo: ela separa tudinho, armazena e qdo tem uma boa qtidade vende pra usinas de reciclágem, a grana que consegue com isso coloca tudo na poupança da filhinha, ótima ideia, né?
bjkas

Carla disse...

Rô amei seu post!!! Confesso que a tempos penso em postar aqui sobre isso, mas vc já o fez muito bem!!! Viva, viva, vivaaaaaaaaaa!!!
Aqui no prédio tem o carroceiro que tem autorização para pegar e então contribuímos com a nossa parte. Mas sempre fico com dor na consciência se separei certo ou não, isto tudo é uma necessidade urgente para cuidarmos do nosso "mundão", mas como tem gente que se importa apenas com o seu umbigo não é?
Beijocasssssssss e parabéns pela iniciativa.

disse...

Meninas, fico contente que gostaram.
Daya, então, já pensei q o governo deveria fazer sua parte sim, mas mudei minha opinião de uns tempos pra cá, com tantas decepções políticas (não que eu me envolva com algo, né, mas vendo o q acontece, a gente começa a acreditar cada vez menos que as coisas vão mudar de cima pra baixo).... Então eu acredito que seja mais viável que as pessoas, através de formadores de opinião entre eles, acesso a informação por vias próprias e seu único interesse, sejam capazes de mudar algo... porque se esperarmos por atitudes do governo, logo estaríamos enterrados num monte de lixo....
Mas a real é que fico muito satisfeita em saber que separamos o lixo, e que isso não é visto como atitude de gente maluca rsrsrs
Quanto a China, eu sinceramente não sei como funciona, só sei que por lá muita coisa está mudando e pra melhor. Estão evoluindo muito, não só economicamente.
bjos!

Dani disse...

Confesso que quem me educou nesse sentido foi o meu marido. O ambientalista da casa!

Aqui todo o lixo é separado e colocado na rua, para a coleta, somente no dia e na hora em que o caminhão passa. Pra não correr o risco de cachorros rasgarem tudo.

Concordo que, somos responsáveis por todo esse movimento de conscientização. O governo, sempre vem depois, com alguma medida que regulamente, incentive...

O que eu acho triste em não nos livrarmos de uma vez das sacolinhas plásticas. Uma coisa que é bem irônica a meu ver: até o lixo reciclável é acomodado nas benditas sacolinhas.

Mas vamos lá...é pra frente que se anda.

Lulu disse...

Muito bom!
Aqui tb separamos tudo, e ainda fico boba de como as pessoas acham difícil tomar algumas atitudes tãooo simples...
Dani, pra frente é que se anda, né? rs

Lidiane Vasconcelos disse...

Pois é. É dando o exemplo a criançada que, quem sabe, esse mundo tem jeito. Esse assunto é bastante pertinente. Já levei ele para o Bicha Fêmea aqui: http://www.bichafemea.com/2010/05/19/educacao-ecologica-criancas/

Deu o que falar, e acho que vai dar sempre. Ainda falta muito para a gente chegar no ponto ideal... :(